New here? Register. ×
×

Pacientes morrem em hospital da Prefeitura de Niterói sem remédios

Escrito por Gilson Monteiro às 18:32 do dia 7 de dezembro de 2015
Sobre: Saúde Pública
07dez

A falta de condições dignas para atender a população no Hospital Municipal Carlos Tortelly, em Niterói, foi denunciada hoje pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde e Previdência Social (Sindisprev), Ivone Suppo. Ela afirmou, em reportagem do Bom Dia Rio, da TV Globo, que “falta medicação e kit para exames” e que há 26 leitos sem uso em enfermarias fechadas.

– É um abandono total. Nós já perdemos pacientes por não ter condições de dar atendimento digno – disse Ivone, que trabalha há 32 anos no hospital referência em clínica médica e em doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e doenças cardíacas.

Ela denunciou que o hospital não recebe os recursos necessários da prefeitura para que possa funcionar a contento.

– Temos enfermarias fechadas porque não tem a mão de obra. Aqui, nós temos em torno de 300 trabalhadores que são prestadores de serviço, só que esses trabalhadores não podem ficar trabalhando porque não recebem, e aí as enfermarias fecham e quem paga é a população. Muita das vezes o paciente procura o hospital e a gente não tem como dar um atendimento. Estar com as portas abertas não significa ter um atendimento digno para a população. As portas estão abertas, mas não tem como ter o atendimento. Nós já tivemos pacientes que chegaram a óbitos – disse Ivone Suppo.

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|