New here? Register. ×
×

Shopping paga para Niterói alargar rua

Escrito por Gilson Monteiro às 14:29 do dia 13 de fevereiro de 2017
Sobre: Solo criado
13fev

Com quatro anos de atraso, a prefeitura de Niterói deverá alargar a Rua Marquês do Paraná, no Centro, para acabar com os engarrafamentos diários em direção à Zona Sul provocados pela saída do mergulhão na esquina da Rua Dr Celestino.

Isto somente deverá acontecer agora porque um grupo de empresários já depositou R$ 11,8 milhões na conta da municipalidade a título de outorga onerosa, uma contrapartida para obter da Secretaria municipal de Urbanismo a licença de construção de um shopping nos terrenos do Hortifruti, de uma loja de peças de automóveis e da Marmoaria Thor, na Marquês do Paraná.

A Soter Engenharia está capitaneando o grupo de investidores de peso da cidade. O pagamento feito à prefeitura vai permitir que ela desaproprie e faça a demolição do prédio na esquina da Dr. Celestino, de outro que fica ao lado e de mais duas casas para a abertura de três pistas na Marquês do Paraná, sendo uma delas de acesso ao novo shopping.

O projeto do empreendimento comercial é dos mesmos arquitetos que idealizaram o Plaza, que traçam agora um shopping de bairro, tipo Fashion Mall, para que os moradores de Icaraí tenham um acesso rápido ao novo centro de compras e lazer.

A intenção dos empreendedores é refazer a calçada original da Miguel de Frias para que as pessoas caminhem a pé até o shopping.

Os espaços que estão sendo definidos reservam áreas para muitas lojas de moda, algumas de grifes exclusivas para o público feminino. Também está sendo feita uma negociação com o Hortifruti para que ali permaneça. Na praça de lazer e alimentação vão se instalar restaurantes de excelente padrão e salas de cinema de alto nível.

O shopping planeja ter os mais modernos conceitos de sustentabilidade, com uso de energia solar, captação e reuso da água, além de avançado sistema de informatização.

A Outorga Onerosa do Direito de Construir, também conhecida como “solo criado”, refere-se à concessão emitida pelo município para que o proprietário de um imóvel edifique acima do limite estabelecido pelo coeficiente de aproveitamento básico previsto no Plano de Urbanismo, mediante uma contrapartida financeira a ser paga à municipalidade pelo beneficiário do empreendimento.

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

23 thoughts on “Shopping paga para Niterói alargar rua

  1. Se onde hoje existem prédios e casas surgirem mais duas ou três pistas de fluxo até o acesso a Miguel de Frias junto ao campo do clube q fica na entrada da referida rua, à ideia é aparentemente interessante. Se no entanto, for apenas um alargamento da saída da rua da Conceição q depois se afunila novamente na altura do atual hortifruti não haverá melhorias, muito pelo contrário.
    E assim como o outback, anunciado tb aqui nesta coluna, na entrada da Gavião, sobre a drogaria hoje existente e q tende a piorar o trânsito neste ponto da cidade já bem saturado a nova obra pode ser fator de caos urbano. Só comprovando q as.adm da cidade não se preocupam com a população.
    Se Lembrarmos da abertura do túnel charitas Cafubá e do projeto de um VLT (mesmo q num futuro distante) q ainda aumentará o fluxo de veículos por ali, e que no caso do VLT demandará espaço físico, pode ser um momento da prefeitura e prefeito mostrarem um bom serviço, pois pensam o espaco municipal pela ótica de todos, garantindo melhoras na mobilidade urbana e no planejamento urbano da cidade.

  2. Apesar de não fazer parte do caminho, tinha é que ter barcas para o pessoal de são gonçalo, estação la! O fluxo de onibus e carros diminuiriam..

  3. Tá bom, e a prefeitura acha que vai acabar com o problema no trânsito da saída do mergulhão colocando um shopping center nesta saída. Tenho de rir!
    Seja bem vindo ao caos!

  4. Sou a favor, sim, de um novo shopping para Niterói. Desde que, se começarem as obras, que terminem o quanto antes e que cause o menor impacto possível no trânsito, tanto durante as obras como também depois de pronto.

    De que adianta ter um novo shopping se o trânsito já saturado da redondeza não comportar um fluxo extra que virá, mesmo sendo de maioria do próprio bairro e do Centro?

    Tomara que eu esteja errado.

    1. Concordo, Niterói não tem mais espaço pra crescer. Muito carro e pouca rua. Obra só política.
      Como a transoceanica que está causando maior transtorno a moradores comerciantes sem sinalização dá obra causando vários acidentes e ninguém se responsabiliza e não vai funcionar. O túnel vai atender 20℅ dá população que quer ir pro catamarãs.
      Depois vai engarrafar.

  5. Saída de um Shopping ali, na boca do mergulhão, passagem obrigatória do tráfego que vem da Ponte. E gente aplaudindo, achando que o trânsito vai melhorar. Dá pra acreditar?

  6. A Prefeitura tem dinheiro para assumir a responsabilidade do Estado do RJ falido (biblioteca, restaurante popular, salário de policial militar) mas não tem dinheiro para acabar com engarrafamento através de obras urbanísticas? Será que esse prefeito sabe qual é a responsabilidade que lhe compete?

  7. Um Shopping ali não pioraria o gargalho Mergulhao x Marquês do Paraná? Sinceramente, não vejo espaço para isso ali.
    Mas vejo também a possibilidade de uma ciclovia naquele trecho, e aí sim justifica a ideia de “Niterói para as pessoas”.

  8. Bom dia.
    Gostaria de saber da prefeitura sobre o funil que é o estrangulamento da Paulo Alves após o primeiro sinal.
    Dia de chuva forma uma piscina na saída da garagem do Pão de Açúcar, todos correm perigo, principalmente idosos e crianças e mães com carrinho de bebe pois tem que passa pela rua.

  9. Caro Gilson: Não está aprovada também uma saída do novo shopping pela Fagundes Valera, passando por dentro do Rio Cricket?. Segundo se fala, e você poderia confirmar, o clube seria muito bem recompensado com uma grande doação em dinheiro que traria ótimos benefícios para os sócios, como a reforma e ampliação das instalações. Como você é querido e admirado por todos, inclusive no clube, dê mais um dos seus espetaculares furos de reportagem informando todos que o seguem sobre esse assunto. Somos, todos os niteroienses, órfãos da sua super coluna no Globo; É o melhor jornalista da cidade. Queremos ouvir você. Abraços.

    1. Caro Carlos, em primeiro lugar grato pela audiência e por me acompanhar jornalisticamente há anos. O que vou lhe contar não é furo, mas a verdade dos fatos. Realmente existiu essa hipótese, quando há cerca de um ano o diretor da Soter Fernando Policarpo procurou o presidente co clube na época, Josemar Ávila e também o atual Marcos Flávio Cortes para ver a viabilidade de passar uma rua pelo alto do morro, ligando o shopping dá Marques do Paraná com a sua entrada principal pela Fagundes Varela, ao lado do acesso ao clube. Tanto, que o empreendedor chegou a comprar duas casas adiante, na Fagundes Varela,que iriam dar lugar à entrada do novo centro de compras e lazer. O negócio melou e os empreendedores preferiram outro caminho, o da Outorga Onerosa junto à Prefeitura, pagando R$ 11.8 milhões, mantendo a entrada do projeto do shopping na Marques do Paraná. O ex e o atual presidentes do clube, Josemar e Marcos Flávio, nunca mais foram procurados para tratar do assunto, mas ficaram sabendo que o projeto tinha sido refeito para ter sua entrada pela Marques do Paraná.

  10. Como shopping de bairro, faria muito mais sentido construir um no lugar do campo do Caio Martins (apenas o campo – o ginásio e a piscina devem ser mantidos) oferecendo, como contrapartidas:
    a) um espaço de lazer (com acesso gratuito), no alto do prédio, com quadras multiuso, pistas de skate, etc
    b) uma “piscina” subterrânea (em pilotis, dragável) para servir de “pulmão” para o rio que passa no local, acabando com os alagamentos nos dias de chuva
    c) dois “cortes” no prédio na altura de Otávio Kelly e Nóbrega, comunicando a Presidente Backer à Lopes Trovão (esses cortes podem, inclusive, ser o acesso ao estacionamento do shopping)

  11. E curioso que, até onde sei, Cyrela (Condomínio em frente ao HortiFruti) e o Hospital Icaraí também pagaram pela mesma coisa nos tempos do Godofredo. E nada aconteceu.
    Será que agora vai?

  12. Eu acho bom pq só temos o Plaza como Shopping completo. Mas e a segurança? Obras e melhorias envolve segurança. Não temos na cidade toda câmeras. Estamos precisando de melhorar e fazer boas ciclovias. Sinalizadas valendo multa pra carros se invadirem. Isso tb melhoraria o trânsito.

  13. Gilson: Esse projeto nāo prevê também um acesso ao Shopping pela Fagundes Varela por dentro do Rio Cricket? A Sotec comprou duas casas ao lado do portão do clube para isso. Comenta-se também que o clube vai ser premiado com uma grande doação para melhorar as instalações. Como você frequenta o Rio Cricket, onde é muito querido e respeitado, poderia dar esse esclarecimento a todos os seus órfãos da sua super coluna no Globo? Um forte abraço.

  14. Porque não? Não seria pior fazer o shopping sem mudar o trânsito se é lei e existe a contrapartida sou a favor e os moradores de Icarai e região merecem.O enunciado ficou tendencioso.Vida que segue.

    1. O consumo falando mais alto que a locomoção social…
      Niterói e seu crescimento desordenado…
      Pra mim o pior foi o lance do Steak House.
      Ainda não sei ao certo se foi boato ou não, mas de fato essa pseudo cidade esta sofrendo não é de hoje, um “emburguesamento” porco pra tudo que é lado.
      Ainda bem que já não moro mais em Nikity Hell
      O último a sair apaga a luz!

Comments are closed.

Menu