New here? Register. ×
×

Beatleweek: Niterói vai invadir a Rússia

Escrito por Luiz Antonio Mello às 08:05 do dia 14 de março de 2020
Sobre: Festival
  • The Calangles Rock Band
14mar
The Calangles Rock Band

The Calangles Rock Band

Consagrada pelo sucesso das suas últimas edições, a Niterói Beatleweek foi convidada pelos organizadores da Rússia Beatleweek 2020 para assumir um dos palcos do seu festival. Dez artistas da cidade estarão embarcando nos próximos dias para São Petersburgo e Moscou.

Eles vão participar de uma programação intensa que começa quarta-feira, dia 18 de março, com uma feira de vinis, raridades e memorabília na cidade de São Petersburgo. Depois irão fazer shows ao longo de todo o fim de semana. Na sexta (20), o festival chega a Moscou com artistas locais, de outras regiões da Rússia e atrações internacionais. É aí que os artistas de Niterói entram em cena.

Na abertura de cada palco, todos os dias, será exibido um vídeo promocional da cidade de Niterói. Os 10 artistas escolhidos são Evandro Halabey (solo); Eduardo Camacho, Cristiano Reis e Rafael Marcolino (Camacho Trio); Rodrigo Machado, Daniel Oliveira, Daniel Bessa, Rodrigo Bessa, Jessica Abreu e Marcio Bressan (The Calangles Rock Band).

As produtoras responsáveis pela participação de Niterói na Rússia são as que organizam a vitoriosa Niterói Beatleweek. Com o apoio do secretário de cultura Victor de Wolf a MBpro Eventos e Osmose Produções, abriram esses novos e preciosos caminhos para os artistas da cidade. Para Rafael Mose, da Osmose Produções, o intercâmbio entre os festivais tem importância não apenas pelo ganho cultural, mas também pela oportunidade de promover a cidade de Niterói internacionalmente.

Quem quiser pode acompanhar a viagem dos artistas em suas páginas nas redes sociais e também das produtoras e da Niterói Beatleweek. Facebook: osmoseproducoes /niteroibeatleweek. Instagram :@osmoseproducoes @niteroibeatleweek.

Prata para a Masterpiece

André ValeAntes mesmo de inaugurar oficialmente, a Cervejaria Masterpiece conquistou a primeira medalha para o seu portifólio. A premiação aconteceu terça-feira em Blumenau, no Concurso Brasileiro de Cervejas, um dos mais importantes do país. A cervejaria levou a prata na categoria American Style Oktoberfest.

A Masterpiece abrirá suas portas no dia 21 de março, para receber moradores da região e visitantes. De meio dia à meia-noite, quem passar por lá poderá experimentar os chopes da casa diretamente no Bar da Fábrica (serão 16 opções plugadas, sendo duas de cervejarias convidadas), bem como cookies, biscoitos, brownies e outras guloseimas feitas com o bagaço do malte.

Para petiscar, um truck foi projetado especialmente para o espaço. Mas as novidades não acabam por aí. Cinco atrações musicais, incluindo Enzo Yuki and the Kibutzers, Bezzouros, The Badcops, Alma e Dr. Silvana & Cia, estão programadas para tocar no palco do bar, ao longo do dia, além de uma das maiores bandas de gaiteiros de fole do Brasil, a Brazilian Pipers, que fará sua apresentação no local.

Localizada em Piratininga, Niterói, a fábrica foi toda planejada para diminuir o impacto ambiental, com o máximo de eficiência. O projeto ganhou 80 painéis solares, totalizando 30 mil watts de potência, capazes de atender a toda demanda da fábrica e do Bar da Fábrica. Isso também permite que a área destinada à fabricação das cervejas utilize apenas energia elétrica, sem qualquer emissão de CO².

Em parceria com a Ball Corporation, líder global na produção de latas de alumínio para bebidas, e que lidera no Brasil o movimento #VADELATA, foi possível adotar o uso exclusivo da lata no envase das cervejas que não estiverem em barris, gerando um melhor aproveitamento de espaço no armazenamento e garantindo a opção pela embalagem mais amiga do meio ambiente: a latinha, que é 100% reciclável. O envasamento será feito na própria fábrica.

A captação da chuva também foi incluída no projeto, que contará com 100% desta água para utilização nos processos de limpeza. Como sustentabilidade é um conceito amplo, os bagaços de malte, utilizados na produção das cervejas, também serão totalmente reaproveitados na confecção de barras de cereais, cookies, brownies e biscoitos. Além disso, as bicicletas foram o meio de transporte escolhido para as entregas em bares da região. Para distâncias maiores, opções como carros elétricos já estão sendo testados.

O Bar da Fábrica traz outras boas surpresas. Serão oito cervejas da linha fixa e mais seis novidades, plugadas semanalmente, em caráter experimental. Lá também será possível encontrar as guloseimas feitas com os insumos reaproveitados da fábrica e produtos da marca, em uma experiência diferenciada, embalada por bandas de rock, blues e jazz. Para matar a fome, o lugar conta com um truck.

Por trás de toda a ideia está o sócio André Valle, que monitora o mercado de artesanais há 25 anos. Engenheiro com Pós-Doutorado e Coordenador do MBA em Gerenciamento de Projetos da Fundação Getulio Vargas, ele costumava visitar as fábricas de cervejas norte-americanas e acompanhou a evolução deste setor nos EUA. “Percebi que o processo ocorrido nos Estados Unidos, das cervejas artesanais passarem de 1% para 15% de market share, aconteceria no Brasil anos depois. É isso que estamos vivendo agora”, comenta André.

Com investimento de R$ 2 milhões e um projeto pioneiro na área da sustentabilidade no setor de cervejas artesanais no Brasil, Valle conta que passou dois anos visitando mais de 100 fábricas, congressos e feiras nos EUA, para chegar ao resultado final.

A Cervejaria Masterpiece ficana rua Ari Gomes da Silva, 43. Piratininga, Niterói. www.cervejariamasterpiece.com.br

Assinantes da Vivo mudam de operadora

 Assinantes da Vivo estão mudando para a Claro, Tim e Oi por causa da queda na qualidade do serviço da operadora em Niterói. Ausência de sinal, queda de ligações, vários bairros eventualmente isolados, principalmente em São Francisco e região Oceânica. Em Itacoatiara e Campo Belo os celulares chegam a ficar mudos por horas, o mesmo acontecendo em Itaipu e em vários pontos das quatro últimas quadras da avenida Rui Barbosa, em São Francisco.

Quem se dá bem com isso é a Claro, principal predadora da Vivo, que está investindo pesado na qualidade de transmissão na cidade.

Faz sentido. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou no final de fevereiro o seu ranking das melhores e piores operadoras de telefonia e televisão por assinatura do Brasil.

Ao divulgar o ranking o site especializado Canaltech destacou que “a Claro tem muito o que comemorar por ter conquistado a maior nota nas categorias de telefonia móvel pré e pós-paga, com avaliações 7,83 e 7,58, respectivamente.”

Leia também:

Sharing is caring

Luiz Antonio Mello
Luiz Antonio Mello
Jornalista, radialista e escritor, fundador da rádio Fluminense FM (A Maldita). Trabalhou na Rádio e no Jornal do Brasil, no Pasquim, Movimento, Estadão e O Fluminense, além das rádios Manchete e Band News. É consultor e produtor da Rádio Cult FM. Profissional eclético e autor de vários livros sobre a história do rádio e do rock and roll.
|
Menu