New here? Register. ×
×

Vacina é pouca em Niterói; transparência da campanha também é insuficiente

Escrito por Gilson Monteiro às 11:56 do dia 3 de fevereiro de 2021
Sobre: Covid-19
  • vacina é pouca
03fev

vacina é poucaO número de doses de vacinas contra a Covid que Niterói tem recebido do Ministério da Saúde, através do governo do Estado, é pouco. Mas o controle da imunização também tem sido praticamente nulo. Parece que o negócio é dizer que a prefeitura está vacinando, nem que seja com míseras 1.790 doses recebidas esta semana, para uma população de 515 mil habitantes.

Não deu para imunizar todo o pessoal da linha de frente do combate ao coronavírus. Então, a Secretaria de Saúde escolheu um público-alvo bem reduzido: idosos com idade acima de 90 anos. Não se questiona a imunização deles. De jeito nenhum. Mas fica claro que, com o cobertor curto recebido do Ministério da Saúde, o município procura fazer marketing com as poucas doses recebidas. A prefeitura publica no seu site o “vacinômetro”. Fazendo as contas, vê-se que na terça-feira (02/02) apenas 608 pessoas com mais de 90 anos foram vacinadas.

“Lives” restringem comunicação com o cidadão

Somente quem acompanha as lives do prefeito Axel Grael, às segundas e quintas no Facebook, consegue saber sobre o calendário de vacinação e suas alterações. Na transmissão ao vivo, fala também o secretário de Saúde, Rodrigo Oliveira. Disse no dia 1° que no dia 04/02 vai “anunciar de forma transparente o calendário da próxima semana” (foto). Antes, na sexta-feira à noite, o prefeito Grael modificou o calendário previsto para o dia 1°. Neste dia deveriam ser vacinados profissionais de saúde autônomos, de qualquer idade. Poucos souberam da mudança e acorreram às unidades de saúde, frustrando-se. A data foi alterada para imunizar idosos acima dos 90.

Essas lives servem para evitar entrevistas coletivas e as perguntas “inconvenientes” feitas por repórteres. São apenas um comunicado ao público. Nem os internautas que assistem as tais lives recebem respostas a seus questionamentos. Seus comentários e perguntas ficam no ar, sem qualquer retorno oficial.

Niterói não oferece nenhuma transparência sobre quem, quando, onde e com qual vacina foi imunizado. Nos postos, os atendentes registram alguns dados em um formulário e entregam um outro papel à pessoa vacinada. A pergunta que as lives não respondem é: Como a Secretaria de Saúde vai controlar a segunda dose, para garantir a imunização completa em Niterói?

Na Câmara, os 15 vereadores da situação aceitaram o veto do prefeito Axel Grael a um projeto de lei que previa a divulgação diária da ocupação de leitos hospitalares de unidades públicas e privadas do município. Alegou que isto exigiria um “grande esforço e elevados custos aos cofres públicos”.

Um outro projeto, que determina a publicação no site da prefeitura do cadastro das pessoas já vacinadas, não foi votado ontem (02/02). O presidente da Câmara, Milton Cal, retirou a proposta da pauta no final da sessão. Segundo o autor, vereador Paulo Eduardo Gomes, o projeto é para, com a transparência, evitar os fura-fila da vacina. O cadastro eletrônico, por sua vez, daria mais organicidade à campanha de vacinação.

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

2 thoughts on “Vacina é pouca em Niterói; transparência da campanha também é insuficiente

  1. Uma bagunça! Um prefeito não preparado para o cargo, muita nebulosidade de informações, muita propaganda enganosa, muita falta de respeito com a população, uma câmara de vereadores conivente com esse modo de administração no mínimo equivocado.

Comments are closed.