New here? Register. ×
×

Unimeds seguem com a queda de braço

Escrito por Gilson Monteiro às 15:16 do dia 9 de setembro de 2016
Sobre: Saúde em jogo
09set

Médicos das Unimeds continuam em queda de braço pelo pagamento da produçãoA reabertura de consultórios, clínicas, laboratórios e hospitais de Niterói para pacientes da Unimed Rio ainda vai ter que esperar pela próxima terça-feira (13/09). Neste dia a cooperativa de médicos carioca deverá apresentar à Unimed Leste Fluminense (dos médicos niteroienses) um cronograma para o pagamento dos R$ 46 milhões devidos por serviços prestados pelos 1.300 cooperados desta última, que estão sem receber desde abril. Desde 22 de agosto a maioria deixou de atender beneficiários da Unimed Rio.

Nesta queda de braço entre as cooperativas carioca e fluminense quem sofre, além dos médicos sem pagamento, são os 60 mil beneficiários da Unimed Rio moradores em Niterói e São Gonçalo. Dentre esses, idosos e doentes crônicos estão sendo os mais prejudicados conforme relatos feitos à Coluna, como o de Marilia Salvador Pereira Cogo:

– Liguei para hospitais em Niterói e todos atendem emergência, mas dizem que não tem vaga! Estou muito preocupada, pois meu esposo é insuficiente renal crônico, de dois em dois meses tem sido internado. Ele ficou sete meses internado no ano passado. Liguei para hospitais no Rio e todos também não estão internando, só no Hospital da Unimed na Barra!

Em comunicado distribuído ontem (08/09) aos cooperados da Leste Fluminense, o presidente Alan Onofre disse que “somente após a elaboração e assinatura do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta com a Unimed Rio, intermediado pelo Ministério Público), poderemos através da análise do fluxo de caixa da cooperativa divulgar a programação para regularização do pagamento das produções médicas atrasadas aos nossos cooperados”.

Nessa reunião, o Ministério Público recomendou aos médicos da Unimed Leste Fluminense que mantenham os atendimentos no intercâmbio a todos os beneficiários das Unimeds que integram o sistema federativo do Estado do Rio de Janeiro, inclusive aos beneficiários da Unimed Rio.

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informa que “todas as operadoras de planos de saúde, inclusive as que se encontram em Direção Fiscal (como é o caso da Unimed Rio), têm a obrigação de manter uma rede credenciada adequada e suficiente para garantir a assistência à saúde de todos os seus beneficiários. Aqueles que enfrentarem dificuldades nesse atendimento devem procurar a operadora para que ela solucione o problema e também registrar reclamação na ANS, através dos seus canais de atendimento: Disque ANS (0800 701 9656), Central de Atendimento ao Consumidor no portal www.ans.gov.br ou ainda, presencialmente, em um dos 12 Núcleos da ANS existentes nas cinco regiões do país.”

A Unimed Rio já estaria com um déficit total de R$ 1,8 bilhão a ser coberto inclusive com aportes feitos pelos seus cinco mil médicos cooperados. Desde o ano passado, a cooperativa está sob intervenção da ANS sendo acompanhada de perto por um agente nomeado pela agência. A assessoria de imprensa da ANS acrescenta que, “ao longo do regime, o Diretor Fiscal é responsável por elaborar relatórios que reportem os dados da empresa, analisar as medidas de saneamento que estão em curso e avaliar os dados contábeis e econômico-financeiros”.

A diretoria da Unimed Rio está convocando seus mais de cinco mil médicos cooperados para uma assembleia geral extraordinária dia 27 de setembro, na Barra da Tijuca. Vai apresentar o programa de saneamento da cooperativa e suas necessidades atuais de caixa, bem como discutir e deliberar sobre a forma de capitalização de recursos através de aportes financeiros que, inicialmente, deverão ser de R$ 92 mil para cada cooperado.

Na última semana, a ANS autorizou a Unimed Rio a voltar a vender dezoito modalidades de planos de saúde que estavam suspensos por causa de reclamações de consumidores acerca da demora ou qualidade de atendimento. (Confira a relação dos planos da Unimed Rio liberados para a venda).

A nota da Unimed Leste Fluminense aos médicos

“Caros Cooperados

Na última terça-feira, dia 06 de setembro, nos reunimos no Ministério Público em evento promovido pela Promotoria, que só veio a ser encerrado às 18h, com a presença do Promotor de Justiça, Dr. Augusto Viana Lopes, com o Diretor Financeiro da Unimed Rio e seu advogado e, ainda, com a presença de quase toda a diretoria da Federação das Unimeds do Estado do Rio de Janeiro. Naquela ocasião, foi negociada a efetivação de um Termo de Ajuste de Conduta – TAC, a ser firmado pela Unimed Rio com o Ministério Público, com a anuência da Federação do Rio de Janeiro, de forma a dar garantia da manutenção de um fluxo regular dos recursos provenientes dos créditos da Unimed Leste Fluminense, na Câmara de Compensação. Esse documento deverá ser assinado até a próxima terça-feira.

A Unimed Rio assumiu o compromisso de apresentar um cronograma de pagamento, a fim de dar início ao acerto de suas pendências financeiras existentes na Câmara de Compensação do Estado do Rio de Janeiro (CCRJ). Portanto, somente após a elaboração e assinatura do TAC, poderemos através da análise do fluxo de caixa da cooperativa, divulgar a programação para regularização do pagamento das produções médicas atrasadas aos nossos cooperados.

Nessa reunião, o Ministério Público recomendou que mantivéssemos os atendimentos no intercâmbio a todos os beneficiários das Unimeds que integram o sistema federativo do Estado do Rio de Janeiro, inclusive aos beneficiários da Unimed Rio.

Atenciosamente,

Dr. Alan Faria de Onofre

Diretoria Executiva”

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|