New here? Register. ×
×

Rodrigo Neves, réu por corrupção, terá que comprovar frequência em Coimbra

Escrito por Gilson Monteiro às 16:54 do dia 26 de fevereiro de 2021
Sobre: Passe livre
  • rodrigo neves
26fev

rodrigo neves

Rodrigo Neves, denunciado por corrupção em ação penal sobre R$ 10,9 milhões em propina de empresas de ônibus de Niterói, terá que apresentar mensalmente à Justiça um relatório de todas as suas atividades na Universidade de Coimbra, “quer como aluno, quer como palestrante, devendo tais relatórios serem autenticados pela Instituição”.

Foi o que decidiu o colegiado do 3° Grupo de Câmaras Criminais, depois de o desembargador Muiños Pinheiro ressaltar ser “duvidosa a competência” do órgão judicial a partir de 1° de janeiro. Isto porque, ao deixar o  cargo de prefeito, Rodrigo Neves perdeu o foro por prerrogativa de função. A ação criminal já deveria estar sendo julgada na primeira instância, em Niterói.

Passe livre

No final de dezembro, o desembargador Muiños Pinheiro autorizou a devolução do passaporte a Rodrigo, para que ele, apesar de réu na ação penal, pudesse viajar para participar de um estágio no Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra.

O desembargador disse “acreditar na palavra dos homens” e, portanto, “no compromisso que o prefeito assumirá, de retornar ao país tão logo termine seu estágio (de janeiro a julho) em Portugal, ou, caso necessário, retorne ao país para participar da instrução criminal”.

O Ministério Público recorreu dessa decisão em agravo regimental, que foi desprovido por unanimidade do 3° Grupo de Câmaras Criminais no último dia 23. Antes, o magistrado que autorizou a viagem do réu para Portugal manteve integralmente a decisão agravada.

Custo de vida além mar

O MP questionou como Rodrigo Neves, que já alegou ser pessoa de poucos recursos e estar devendo até o cartão de crédito, estaria se mantendo em Portugal.

Muiños Pinheiro respondeu não ter visto “nenhuma necessidade de indagar como se daria a subsistência do agravado (Rodrigo) na cidade de Coimbra. Realmente, não era isso que se estava a decidir e, sim, se era caso de se deferir, ou não, a ida. Mesmo que o MP convencesse, por suas razões, esse magistrado do desacerto da decisão impugnada, seria o caso de se aguardar o exame da questão pelo colegiado.”

Acrescentou em sua decisão que “o agravado não foi autorizado a viajar para o Estado de São Paulo, ou do Rio Grande do Sul, ou mesmo para o Distrito Federal. Ele se encontra além-mar, em território europeu e num país que foi surpreendido no final do ano passado e no início deste ano com as drásticas consequências da pandemia relacionada à Covid-19, havendo dúvida, até mesmo, se o agravado poderia, neste exato momento, ser autorizado a ingressar em território brasileiro ou até sair do território português”.

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

7 thoughts on “Rodrigo Neves, réu por corrupção, terá que comprovar frequência em Coimbra

  1. A fuga do ex-prefeito presidiário necessita de vária explicações. Se Portugal fechou a entrada de brasileiros como ele conseguiu? mesmo tendo residencia lá teria que passar pela quarentena. É cidadão portugues? Quem está pagando este passeio? Por que ele não mostra a tal “carta convite”? Os jornais de Niterói aceitam, e pior, publicam as invenções que ele ou amigos relatam. A mais hilária foi no jornal de Icaraí de 27/2. Diz que o ex-prefeito presidiário está “participando de um programa de pesquisa no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra”. Mas, o mais delirante é o ex-prefeito presidiário dizer que “recebeu o convite pelo reconhecimento internacional que recebeu pelo modo exemplar como protegeu a vida de seus municipes durante a crise da pandemia”. Vai ser um outro kopia e kola.

    1. A sra. não leu a coluna do Gilson relativa à presença de Rodrigo em Coimbra. O “JI” não foi hilário ao noticiar que o ex-prefeito estaria fazendo um curso por lá. O Tribunal de Justiça também não o foi. O “Jornal de Icarai” noticiou que em dezembro o prefeito de Niterói quis comprar vacinas às custas do Erário Municipal. Sou contribuinte e achei excelente a iniciativa. Amanhã , passados quase três meses da tentativa de proteção dos niteroienses, estarei na fila dos idosos de 83 anos para receber a vacina.. Tenho meu cartão de saúde do SUS, pois desde 1988 defendo o “cartão saúde” com todos os diagnósticos dos pacientes. São 33 anos anos alertando as autoridades. Mais do que a crítica prefiro o jornalismo com sugestões. É assim o “Jornal de Icaraí” há 49 anos servindo à cidade e obtendo melhorias para ela e para a sua gente. O “Jornal de Icaraí” não é “hilário” e não tem o poder de julgar, mas o de informar aos bons julgadores..Jourdan Amóra.

  2. E o pior,parece q vâo fazer curso de como combater corrupção,mas calma gente,eh soh p inglês ver e dar um ar de seriedade tentando encobrir os mal feitos p terra brasilis,agora c chancela lusitana.São uns fanfarrões,esse vai p Portugal,o tal do Eduardo Paes p NYC,na real acho q deveriam ir todos eles eh p o xilindró.

Comments are closed.