New here? Register. ×
×

Rios e valões sujos e assoreados podem provocar novas enchentes em Niterói

Escrito por Gilson Monteiro às 12:14 do dia 31 de março de 2021
Sobre: Sem conservação
  • rio assoreado
31mar

rios e valões sujos e assoreadosCom a previsão de chuvas fortes até o fim de semana, moradores de Icaraí, Santa Rosa, Barreto, Fonseca, Viçoso Jardim e bairros da Região Oceânica cortados por rios e valões temem a volta das enchentes. Reclamam que a manutenção preventiva feita pela prefeitura de Niterói não parece ser suficiente para desobstruir esses cursos de água. A maioria deles está poluída por lixo e esgoto, além de assoreada por areia, terra e vegetação.

Tudo isto resultado da falta de manutenção preventiva numa cidade que cobra um dos mais caros IPTUs do rios e valões sujos e assoreadosrios e valões sujos e assoreadospaís.

rios e valões sujos e assoreadosNo trecho entre as Ruas Cinco de Julho e Mariz e Barros, em Icaraí, o valão está repleto de lixo. Além da sujeira e do mau cheiro que o valão exala, vira criadouro de mosquitos que invadem as casas e apartamentos vizinhos. Em Itaipu, o rio João Mendes no cruzamento da  Avenida Central, está completamente tomado pela vegetação que obstrui a passagem da água sob uma ponte. Quando chove mais forte, inunda todas as casas em volta.

O João Mendes tem cerca de oito quilômetros de extensão. Começa em Várzea das Moças e é um dos principais afluentes da Lagoa de Itaipu. Ele corta vários bairros como Engenho do Mato, Santo Antônio e Serra Grande até chegar à lagoa.

Moradores vizinhos reclamam que o rio que cruza a Região Oceânica virou depósito de lixo e o mato não é cortado. Além de criadouro de mosquitos, o rio também é infestado por roedores.

 

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *