New here? Register. ×
×

Niteroi devia estender um tapete verde para seu maior craque, Gerson Nunes

Escrito por Gilson Monteiro às 15:48 do dia 11 de janeiro de 2021
Sobre: Oitentão
  • Canhotinha de Ouro, Gerson Nunes
11jan

Canhotinha de Ouro, Gerson NunesAs ruas de Niterói deviam ter amanhecido hoje cobertas com um gramado verde para homenagear seu maior ídolo do futebol, Gerson de Oliveira Nunes, que completa 80 anos de vida.

O Canhotinha de Ouro começou a carreira aos 16 anos no São Domingos. Foi para o time do Canto do Rio e, no ano seguinte, para o Flamengo, onde foi bicampeão. Depois transferiu-se para o Botafogo, conquistando o bicampeonato carioca e o brasileiro, ao lado de Garrincha. Foi transferido para o São Paulo, onde ajudou o tricolor paulista a conquistar também seu bicampeonato.

De volta ao Rio de Janeiro realizou seu sonho de jogar no Fluminense. No tricolor carioca conquistou em 1973 mais um campeonato e pendurou a chuteira no ano seguinte. Mas não ficou longe do futebol. Logo começou uma bem sucedida carreira como comentarista esportivo.

Como meio campista, Gerson fazia lançamentos de longa distância, de mais de 50 metros, colocando com precisão a bola nos pés do companheiro de time.

Na seleção brasileira que conquistou a Copa do Mundo de 70, Gerson foi considerado pela imprensa mundial o cérebro da equipe, por sua capacidade de reter a bola e ditar o ritmo de jogo, além dos lançamentos certeiros que sempre resultavam em gols.

Falava tanto, que recebeu o apelido de Papagaio e não encontrou dificuldade quando encerrou a carreira futebolística para ser comentarista da Globo e de outras emissoras de rádio e televisão.

De vida simples, casado com Maria Helena, amor de juventude e grande parceira, mora uma vida inteira no bairro de São Francisco. Há 20 anos criou o Instituto Canhotinha de Ouro, projeto de escolinha de futebol para jovens carentes, hoje com vários núcleos em Niterói sob o comando da filha Patrícia.

Montou um estúdio em Pendotiba, onde faz comentários pelo YouTube e programas para a Rádio Tupi.

Muitos anos de vida ao nosso querido Canhotinha de Ouro.

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

8 thoughts on “Niteroi devia estender um tapete verde para seu maior craque, Gerson Nunes

  1. Por muitas vezes tive o prazer de gravar ele no extinto canal 36 (net/niterói), programa do saudoso Carlos Alberto Parisi, e sempre me diverti muito com seus comentários muitas vezes inusitados. Vida longa ao Gerson!

  2. Parabéns Gerson que Deus lhe dê muita saúde paz e felicidades , como seu admirador peço a vc que se puder faça uma reportagem sobre o campo , do são Domingos onde vc iniciou sua bela carreira ,que no momento um ex Vereador de Niterói está tentando se apoderar do nosso campo (está cercado virando um imenso matagal ) tudo por ordem desse dito ex vereador ,numa verdadeira grilagem urbana , por favor faça alguma coisa , pois esse campo com certeza fez e faz parte de sua bela história dentro do futebol ,forte abraço !!

  3. Grande jogador que nos deu muita alegria e orgulho de o ter visto jogar com muita classe.
    Só lamento o que consta como Lei de Gerson, o fato dele em uma propaganda de um produto, ter concordado em dizer ” Que o negócio e obter vantagem”
    Tirando esse episódio, ele merece o nosso apoio pela grandiosidade e generosidade que ele sempre demonstrou ter e ser um homem de bem!

  4. Gerson símbolo da perfeição com a bola nos pés. Sem Gérson não teríamos o Tri . No final de carreira nos encontramos no futebol master do Praia Clube, sempre “ papagaio” , mas sem nunca deixar de ser o cérebro do time, qualquer que fosse ele . Um abraço e felicidades Gerson

  5. Na verdade, com precisão cirúrgica, lançava a bola onde queria e com inteligencia invejável porque em rápidos movimentos analisava qual o melhor parceiro do momento, no final, dava certo

    Ficamos felizes que a justa homenagem seja creditada a um dos maiores jogadores de todos os tempos. E eu ( sortudo ) usufruo de sua sincera amizade.

    Parabéns Gilson e o nosso querido CANHOTINHA DE OURO .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Menu