New here? Register. ×
×

Niterói assiste a um vale-tudo eleitoral

Escrito por Gilson Monteiro às 17:58 do dia 17 de outubro de 2016
Sobre: Eleições 2016 / Niterói
17out

A treze dias das eleições de segundo turno em Niterói, as campanhas viraram palco de agressões mútuas. De um lado, partidários de Felipe Peixoto acusam a vinculação de Rodrigo Neves com o PT. Mostram notícias e gravações destacando a proximidade do prefeito candidato à reeleição com o empresário Ricardo Pessoa, réu confesso da Lava Jato, que financiou candidaturas anteriores de Rodrigo e cuja empresa, a Constran, participa do consórcio que constrói a TransOceânica por R$ 310 milhões.

Outra acusação feita contra a atual administração é a do endividamento do município pelos próximos cinco governos municipais, além do inchaço da máquina com 50 cargos de secretários.

Já a cúpula de Rodrigo Neves acusa Felipe de ter falido a saúde do Estado, de ser o responsável pelo escândalo dos medicamentos vencidos na Farmácia do Barreto, além de contratar pessoal em meio à crise financeira do Estado. Focam também que ele abandonou as obras do Centro de Imagem na Rua Marquês do Paraná.

No fim de semana Felipe ganhou dois reforços para o segundo tempo, ou melhor, segundo turno, os campeões mundiais de futebol Romário e Leonardo. O primeiro, hoje senador, foi constrangido pelos rodriguistas a descer de um jipe em que desfilava em carreata pela Alameda São Boaventura. Pressionados pelos “verdes”, fiscais do TRE-RJ alegaram que o Código de Trânsito não permite passageiros viajando em pé nos carros. Os dois sentaram, mas como não havia cinto de segurança no banco de trás do jipe de 1978, tiveram que fazer o restante da caminhada a pé.

Pela internet, os ânimos correm exaltados. Memes e mais memes são produzidas diariamente com ataques de ambos os lados. Presidentes de entidades de classe e até secretários municipais e funcionários públicos de alto escalão participam ativamente da campanha pela internet disparando posts pelas redes sociais durante seus horários de trabalho.

No último fim de semana, através de telefones celulares de São Paulo foram enviadas mensagens pelo WhatsApp para milhares de eleitores  listando os motivos pelos quais não deveriam votar em Felipe Peixoto. Logo, outras mensagens assinadas pelos “Amigos de Niterói” eram também distribuídas pelas redes sociais apresentando “30 motivos para não se votar em Rodrigo Neves”.

No meio desse vale-tudo está o eleitor descrente da política. Foram mais de cem mil votos desprezados no primeiro turno, seja pela abstenção ou pelos que foram às urnas, mas votaram em branco ou anularam, preferindo não apoiar ninguém.

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

3 thoughts on “Niterói assiste a um vale-tudo eleitoral

  1. Oi, Rodrigo. Olha, o Felipe trabalhou em duas secretarias e montou equipes para conduzir sua atuação tanto na Sedrap quanto na Secretaria de Saúde. Eu conheço a trajetória dele e, caso você esteja interessado, vale a pena pesquisar. E quanto à acusação em relação aos cargos durante a crise, Felipe promoveu adequações e criou a Corregedoria para apurar denúncias de corrupção na pasta. Mesmo assim, os cargos de comissão somaram apenas 1% do total de contratados da Secretaria, em contraposição, por exemplo, à atual Prefeitura de Niterói, que tem 40% dos cargos comissionados.

    Reproduzo abaixo um texto sobre a situação na Secretaria de Saúde:

    “A crise na área da saúde pública do Rio se arrasta há décadas, em especial, por problemas financeiros que se agravaram justamente em 2015. Foi o ano em que, com o caixa ainda mais minguado por conta da maior crise vivida e anunciada pelo Governo do Estado, a situação atingiu o seu ponto crítico: somente 8,09% dos 12% obrigatórios de recursos próprios do estado foram pagos. Felipe precisou fazer um corte de R$ 700 milhões e trabalhou intensamente para não deixar o colapso atingir o atendimento de emergência, sempre priorizando a transparência nos contratos. Tanto que todas as informações estão registradas nos relatórios de gestão do ano passado da Secretaria de Saúde, citados na ação civil do Ministério Público Federal que identificou que, desde 2013, o Governo do Estado não cumpre o repasse mínimo de 12%, como prevê a Constituição Federal. Um dos resultados foi o acúmulo de R$ 1,4 bilhão, quantia que deixou de ser aplicada na Saúde no ano passado. Como administrar uma pasta como a Saúde sem recursos? Saúde não pode esperar, pois é caso de vida ou morte!”

    Esses são fatos que passam ao largo de qualquer paixão clubística.

  2. Gilson, me desculpe, mas o vale tudo eleitoral é de Rodrigo, que mente descaradamente e distorce a verdade dos fatos para enganar a população e se manter no governo a qualquer custo.
    Felipe sempre foi ético. Do jeito que colocou na reportagem parece que não conhece o tipo de campanha “baixa” e dissimulada que Rodrigo Neves faz.
    Sinceramente, só lamento, penso que está igual a maioria….. Não tem a mínima ideia do que é a campanha de Rodrigo, como eles jogam “baixo”, ofendem, distorcem a verdade e mentem descaradamente.

    1. Tadinho de Felipe, tão ético que se aproveitou de Sérgio Cabral e cia para pendurar a sua turma em duas secretarias estaduais, sem, contudo, apresentar qualquer resultado positivo. Muito pelo contrário, ciente da grave crise financeira por qual o estado atravessa, aumentou exponencialmente os gastos com o pessoal comissionado na secretaria de saúde. A incapacidade de se fazer uma análise fria dos fatos e dos candidatos parece com a dos amantes do futebol, onde as paixões clubísticas transcendem o senso crítico

Comments are closed.