New here? Register. ×
×

Grão ao Pão fecha em Piratininga e deixa órfãos o jornaleiro e o florista

Escrito por Gilson Monteiro às 16:49 do dia 3 de agosto de 2020
Sobre: Última fornada
  • Grão ao Pão Piratininga
03ago

O fechamento da Grão ao Pão, em Piratininga, no último sábado (01/08) deixa moradores da Região Oceânica sem um café da manhã variado, almoço, chá da tarde e caldos à noite. A padaria sucedeu a Camponesa, há cerca de vinte anos.

A confeitaria do Grão Pão, com seus bolos, pães recheados e doces, era uma espécie de loja âncora da banca de jornal instalada em frente há 40 anos por Luciano Soares. Além do jornaleiro, era referência também para o florista Nei Nunes, ali há 28 anos. Os dois temem o esvaziamento do ponto, que já andava com pouco movimento.

A notícia de que a loja vai ser ocupada por uma farmácia está causando estranheza, porque do outro lado da rua acaba de ser inaugurada uma mega drogaria Venâncio.

Fregueses que apareceram no domingo se surpreenderam com as portas arriadas da padaria. Na opinião deles, a Transoceânica feita sem planejamento está dificultando o acesso das pessoas ao comércio, pela distância dos acessos tanto para pedestres como para veículos, além da falta de estacionamento.

As travessias são perigosas. Um morador do Ubá 1, que fica quase em frente, mas tinha casa em quadra bem distante da portaria, para ir de carro até a padaria tinha que seguir até o DPO do Cafubá para retornar. Na volta para casa, o retorno só existe a mais em frente ao shopping Multicenter.

Leia também:

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

9 thoughts on “Grão ao Pão fecha em Piratininga e deixa órfãos o jornaleiro e o florista

  1. A antiga glamour acabou fechando as portas logo depois da obra.
    É preciso a evolução e melhorias, porém pensar em todo, afinal economia é fundamental para uma cidade.

  2. —:> Por que um morador que mora “quase em frente” deixa de andar um pouco e vai de carro à padaria? Tentando entender.

  3. Não acredito que SOMENTE a obra tenha sido a causa do fechamento. Talvez uma gestão ineficiente acrescida que pode ter sido potencializada pela pandemia. Eu e minha família usávamos sim o Grão ao Pão, em sua maioria para tomarmos café da tarde e as vezes pela manhã. E resido próximo a Itacoatiara. É uma lástima mas espero que siga o mesmo ramo de negócio.

  4. Tudo isso acontecendo na nossa cidade…..e muito ruim é ridículo……prefeitura e outros órgãos acordem para nos ajudar a manter a nossa CIDADE LINDA de PÉ POR FAVOR

  5. Parece que a Prefeitura nao faz estudo de engenharia de trafego para as sua obras. Desde que foi inaugurada a nova Marquez de Parana eu vinha comentando a perigosa entrada de carros no estacionamento do Hortifruti onde para entrar os carros tem que cruzar o final da pista exclusiva para ônibus. Ontem ja havia no local um acidente envolvendo um taxi e outros veículos sendo o começo de uma série de muitos que ocorrerão no local!!

Comments are closed.

Menu