New here? Register. ×
×

Dia das Mães: lojistas de Niterói esperam vender mais lembrancinhas

Escrito por Gilson Monteiro às 17:34 do dia 29 de abril de 2021
Sobre: Pandemia madrasta
  • Dia das mães
29abr

Dia das mãesO Dia das Mães deste ano, marcado para 9 de maio, deverá ser um pouco melhor para o comércio lojista do que o do ano passado. A expectativa é a de um aumento de 3,5% nas vendas, estima Joaquim Pinto, presidente do Conselho da CDL Niterói. Diante de uma pandemia madrasta, que dilacera famílias e causa desemprego, os lojistas acreditam que venderão mais lembrancinhas do que presentes caros. Em média, as compras deverão ficar em torno de R$ 80,00 por consumidor.

– O mês de abril foi péssimo para o comércio lojista, porque só pode trabalhar por uma semana – diz Joaquim Pinto sobre o período em que três decretos sucessivos do prefeito Axel Grael mantiveram as lojas fechadas.

A duas semanas da data comemorativa, o comércio lojista ainda não se animou a decorar as vitrines. Ao longo da Rua Moreira César, em Icaraí, apenas uma loja fazia referência à data (foto), com a frase “Celebrando a força da mãe brasileira”.

O Dia das Mães, que tradicionalmente era o segundo em volume de venda de presentes, superado pelo Natal, em 2020 foi adiado de maio para julho pelo ex-prefeito Rodrigo Neves. Com as lojas fechadas no lockdown de maio, em julho o Dia das Mães adiado por decreto não surtiu efeito no caixa do comércio local. O público comemorou mesmo no segundo domingo de maio, como acontece desde quando o dia foi criado em 1932, pelo presidente Getúlio Vargas.

Assim como no ano passado, o chamado e-commerce continuará em vantagem. As vendas pela internet têm crescido em volume de transações, mas sem aumentos significativos, ainda, em relação a anos anteriores. Segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), divulgada pelo IBGE em 31 de março, a taxa de desemprego no trimestre de novembro de 2020 a janeiro de 2021 atingiu 14,2%, com 14,3 milhões de desempregados no país.

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|