New here? Register. ×
×

Votos nulos na frente, em Niterói

Escrito por Gilson Monteiro às 12:32 do dia 11 de agosto de 2016
Sobre: Eleições 2016
11ago

Pesquisa GPP aponta Rodrigo Neves e Felipe Peixoto empatados tecnicamente

RODRIGO 600x270Cerca de um terço dos 371 mil eleitores de Niterói pretende votar nulo nas próximas eleições, segundo pesquisa publicada hoje (11/08) pelo jornal O São Gonçalo, que aponta os candidatos Rodrigo Neves (PV) e Felipe Peixoto (PSB) empatados tecnicamente, obtendo, respectivamente, 30,4% e 29,1% das intenções de voto em um possível segundo turno entre os dois.

Segundo o instituto de pesquisa GPP, 32,8% do eleitorado declarou que anulará o voto, reafirmando um desencanto com os políticos como vem acontecendo nas últimas eleições em Niterói. Dentre as 700 pessoas ouvidas nos dias 6 e 7 de agosto, também 12,5% disseram não saber em quem votariam. Ao contrário do que sempre se propaga nas vésperas de eleições, o voto nulo não tem poder de anular nenhum pleito. Simplesmente ele não existe, adverte o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em seu site (veja clicando aqui): “Votos nulos são como se não existissem: não são válidos para fim algum. Nem mesmo para determinar o quociente eleitoral da circunscrição”.

Manchete do jornal O São Gonçalo mostra candidatos à prefeito de Niterói empatados tecnicamente em pesquisa eleitoralOs números do GPP

A margem de erro da pesquisa é de 3,7% para mais ou para menos. Em relação ao primeiro turno, marcado para o dia 2 de outubro, o levantamento aponta o mesmo empate técnico dos candidatos mais citados pelos eleitores: Rodrigo Neves tem 24,8% das intenções de voto e Felipe Peixoto 18,8%. O candidato do PSOL, Flavio Serafini, aparece em terceiro lugar com 8,3%. No primeiro turno o índice apurado de votos brancos e nulos é de 32%

Se a disputa no segundo turno for entre Felipe Peixoto e Flávio Serafini, o primeiro receberia 37% dos votos e o segundo 15,6%. Anulariam o voto 33,2%, e 14,2% não sabem em quem votariam.

No caso de o segundo turno ser entre Rodrigo e Serafini, o prognóstico é 38,7% das intenções de voto para o primeiro e 19,2% para o segundo. Não sabem, 8,8%, e anulariam o voto 33,3%.

Os índices de rejeição aos candidatos é o seguinte: Rodrigo Neves, 46,9%; Felipe Peixoto, 27,3%; e Flavio Serafini, 16,9%.

O maior número de eleitores de Rodrigo foi registrado na Zona Norte de Niterói, somando 33,1% do eleitorado, segundo o GPP, seguido por Pendotiba e Região Oceânica, com 31,6%; e Zona Sul, 15,1%.

Já Felipe Peixoto teria mais eleitores na Zona Sul (21,5%), vindo em seguida Pendotiba e Região Oceânica (17,2%) e Zona Norte (16,3%).

A pesquisa GPP, contratada pela Universo e registrada no TER-RJ sob o número 06731/2016, indica que 34,3% dos 371 mil eleitores de Niterói ainda não têm candidato definido e que 32% dos aptos a votar pretendem anular o voto.

 

Leia também:

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

3 thoughts on “Votos nulos na frente, em Niterói

  1. Esse cenário confirma a insatisfação com o ex petista, Rodrigo. Ele já está sendo reprovado pelos eleitores que não aceitam essa maneira de governar, com alianças que só estão deixando sua máscara cair. Queremos um tempo novo e um Prefeito para Todos. Concordo com o comentário acima. Tomara que a fiscalização seja ferrenha, evitando a compra de votos. Eleições limpas!

  2. Afastados outros motivos, o fogo amigo é a arma secreta que está contribuindo de forma decisiva para uma eventual derrota eleitoral do Prefeito Rodrigo Neves. Felipe Peixoto é um opositor a altura, com algumas vantagens na firmeza com se relaciona e a confiança que passa para os seus eleitores, equipes de apoio no governo, apoiadores diversos e comunidade. Creio que, havendo repressão contunde à compra de votos,contando com a fiscalização e denúcia dos eleitores com maior consciência cívica, com o fim do incestuoso financiamento de campanhas eleitorais por empresas “amigas”, a partir destas eleições, o eleitorado de todo o país vai dar mais valor ao seu voto. Agora é ele quem elege o candidato e não o marketing estilo “Zé Bonitinho” dos grandes marqueteiros. Haja consciência cívica, Ministério Público, Lava-Jato, Polícia Federal e fim da caixa dois. Sonha, Marcelino !

Comments are closed.

Menu