New here? Register. ×
×

Rodrigo em vale-tudo pela reeleição

Escrito por Gilson Monteiro às 12:36 do dia 28 de agosto de 2016
Sobre: Eleições em Niterói
28ago

O ex-petista Rodrigo Neves inaugurou no sábado à noite (27/08) um comitê eleitoral na Rua Moreira César, defronte ao Shopping Icaraí. Em frente, um carro da Guarda Municipal fazia a segurança do prefeito candidato à reeleição que deveria ter vergonha de pisar na rua que teve uma suposta obra de revitalização abandonada por ele. Depois das trapalhadas e dos malfeitos durante a instalação de piso de granito no trecho entre a Miguel de Frias e a Alvares de Azevedo, o ex-petista deixou a rua com tapumes e buracos no quarteirão final, na esquina de Almirante Ary Parreiras. Além do uso da Guarda Municipal, há outros fatos graves de uso da máquina pública nessa campanha eleitoral. Para participar de um jantar de apoio a candidatura do ex-petista, os funcionários da prefeitura que ocupam cargos comissionados tiveram que comprar e também revender convites por R$ 1 mil, cada um. O total arrecadado teria sido depositado na conta do Partido Verde, que Rodrigo Neves usa para encobrir sua origem petista. Como nessas eleições somente pessoas físicas podem fazer doações para as campanhas, esta teria sido uma maneira encontrada para fazer caixa. No entendimento de um advogado especialista em Direito Eleitoral, o prefeito, ao induzir seu funcionário a comprar e revender os convites está usando o poder para constranger um subordinado que ficaria com medo de ser exonerado do cargo, caso deixasse de colaborar financeiramente com a candidatura do chefe.  Os comissionados já receberam ordem de ir para as ruas segurar bandeiras e distribuir panfletos, além de terem que acompanhar o prefeito e fazer a claque em caminhadas pelas ruas da cidade, fora do horário do expediente e nos feriados, sábados e domingos.O ex-petista Rodrigo Neves inaugurou no sábado à noite (27/08) um comitê eleitoral na Rua Moreira César, defronte ao Shopping Icaraí. Em frente, um carro da Guarda Municipal fazia a segurança do prefeito candidato à reeleição que deveria ter vergonha de pisar na rua que teve uma suposta obra de revitalização abandonada por ele. Depois das trapalhadas e dos malfeitos durante a instalação de piso de granito no trecho entre a Miguel de Frias e a Alvares de Azevedo, o ex-petista deixou a rua com tapumes e buracos no quarteirão final, na esquina de Almirante Ary Parreiras.

Além da Guarda Municipal, há outros fatos graves de uso da máquina pública nessa campanha eleitoral. Para participar de um jantar de apoio a candidatura do ex-petista no  Restaurante Mocelin, funcionários da prefeitura que ocupam cargos comissionados tiveram que comprar e também revender convites por R$ 1 mil, cada um.

O total arrecadado teria sido depositado na conta do Partido Verde, que Rodrigo Neves usa para encobrir sua origem petista. Como nessas eleições somente pessoas físicas podem fazer doações para as campanhas, esta teria sido uma maneira encontrada para fazer caixa. No entendimento de um advogado especialista em Direito Eleitoral, o prefeito, ao induzir seu funcionário a comprar e revender os convites está usando o poder para constranger um subordinado que ficaria com medo de ser exonerado do cargo, caso deixasse de colaborar financeiramente com a candidatura do chefe.

Os comissionados já receberam ordem de ir para as ruas segurar bandeiras e distribuir panfletos, além de terem que acompanhar o prefeito e fazer a claque em caminhadas pelas ruas da cidade, fora do horário do expediente e nos feriados, sábados e domingos.

Leia também:

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|
Menu