New here? Register. ×
×

Filme de niteroiense nas telas da Europa

Escrito por Gilson Monteiro às 13:29 do dia 19 de julho de 2019
Sobre: Sétima arte
19jul

O cineasta niteroiense Daniel Camargo teve seu documentário “George Hilton – o Mundo É dos Audazes” exibido este mês no Festival Agenda Brasil, em Milão, e selecionado para os festivais de Salento, na Itália, e o Sitges – Festival Internacional de Cinema Fantástico da Catalunha, na Espanha. O filme é sobre o ator uruguaio que marcou época no cinema italiano em produções do chamado faroeste espaguete.

Daniel Camargo nasceu em Niterói, RJ e desde os 5 anos queria trabalhar com cinema. Não sabia como, mas sabia que queria e podia contar histórias através de imagens em movimento e som. Com pouco mais de 10 anos, procurava livros sobre o assunto, não importasse a língua. Uma das grandes fontes de informação era a revista brasileira Cinemin, especialmente os artigos de A.C. Gomes de Mattos, Gil Araújo e Sergio Leemann sobre o cinema clássico mundial. 

Um de seus primeiros professores foi o cineasta Luís Carlos Lacerda, de filmes como Mãos Vazias e Leila Diniz. O aprendizado continuou com o Curso de Cinema da Universidade Federal Fluminense, um dos mais prestigiosos do Brasil. A partir de 1997 começou a trabalhar atrás das câmeras em longas-metragens nacionais e estrangeiros como For All – O Trampolim da Vitória, O Xangô de Baker Street, O Sabor da Paixão, entre outros.

Ensinou História do Cinema no Brasil e em Angola e em 2007, publicou, em co-autoria com Fábio Vellozo e Rodrigo Pereira, o livro “Anthony Steffen – A Saga do Brasileiro Que Se Tornou Astro do Bangue-Bangue À Italiana” (Editora Matrix). Trata-se da biografia do ator ítalo-brasileiro Antonio de Teffé, que se tornou um dos grandes astros do western spaghetti.

Daniel dirigiu, para o Canal Brasil (Globosat), o documentário Antonio Meliande – Pau pra Toda Obra e a minissérie Boca do lixo: a Bollywood Brasileira, produções que versavam sobre o cinema popular brasileiro dos anos 60 e 70.

Seu trabalho mais recente é o documentário George Hilton – o Mundo É dos Audazes, uma co-produção brasileira-italiana sobre o ator uruguaio George Hilton, outro sul-americano que se tornou astro do cinema popular italiano, em uma época em que pistoleiros e assassinos misteriosos duelavam pelas telas do cinema italiano (e mundial) com Fellini, Pasolini, Visconti e Antonioni. Este cinema, outrora desprezado pela crítica, foi reavaliado e conquistou a admiração de cineastas como Quentin Tarantino. O diretor americano reconhece esta influência em sua obra e, em seu último trabalho, Era Uma Vez em Hollywood, faz uma homenagem explícita a George Hilton.

Leia também:

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

4 thoughts on “Filme de niteroiense nas telas da Europa

  1. Parabens Alfredo pelo sucesso do filhão, do qual, certamente, vc tem participacao…grande abraco…..

  2. Parabéns Daniel Camargo pelo reconhecimento do seu trabalho! Talentoso, instigante, instrutivo e muito sensível! Dose certa, receita do sucesso!!!!

  3. Daniel é apaixonado por cinema desde criança, é um estudioso pelo assunto, torço pelo seu sucesso.

Comments are closed.

Menu