New here? Register. ×
×

Falta remédio, sobra marketing em Niterói

Escrito por Gilson Monteiro às 09:30 do dia 15 de fevereiro de 2017
Sobre: Dourando a pílula
15fev

Almoxarifado Central com as prateleiras vazias/ Divulgação

Apesar de estar com o Almoxarifado de Medicamentos (Almed) desabastecido, atendendo menos de dez por cento das unidades hospitalares da rede municipal de Niterói, o prefeito reeleito Rodrigo Neves vai encaminhar nesta quarta-feira (15/02), à Câmara de Vereadores, projeto de lei autorizando a prefeitura gastar R$ 5 milhões com o pagamento de um bônus de R$ 3,5 mil para cada PM ou policial civil que atue na cidade.

Não se discute a validade da bonificação oferecida aos policiais. O fato é que o prefeito quer dourar a pílula e atrair atenção da opinião pública para este gesto midiático, já que o município sofre de muitas outras carências na Saúde e na Educação. Em dezembro, alegando crise financeira à vista, Rodrigo Neves fez a Câmara de Vereadores aprovar o adiamento do pagamento de gratificações devidas aos professores desde o início de seu primeiro governo. Também aumentou de 11% para 12,5% a contribuição previdenciária do funcionalismo.

Desde 2014, a Fundação Municipal de Saúde está com o processo nº 200/4925/2014 (Atenção Hospitalar) questionado pelo Tribunal de Contas do Estado e sem resposta satisfatória da prefeitura. O reabastecimento do almoxarifado depende da liberação desse processo para poder suprir os estoques de remédios, de material médico-cirúrgico e até mesmo de materiais para a manutenção predial de hospitais e postos de saúde municipais.

Outro exemplo de descaso com a saúde municipal foi o Laboratório Miguelote Viana ter passado o ano inteiro de 2016 sem realizar exames pré-natal, para prevenir complicações de doenças como rubéola, toxoplasmose, citomegalovirus e sífilis, colocando em risco as grávidas de Niterói.

— Depois vão colocar a culpa no Aedes Aegypti – disse um funcionário do laboratório, acrescentando que também não estão sendo realizados exames com os marcadores de hepatite.

Leia também:

Sharing is caring

Gilson Monteiro
Gilson Monteiro
Iniciou em A Tribuna, dirigiu a sucursal dos Diários Associados no Estado do Rio, atuou no jornal e na rádio Fluminense; e durante 22 anos assinou uma coluna no Globo Niterói. Segue seu trabalho agora na Coluna Niterói de Verdade, contando com a colaboração de um grupo de profissionais de imprensa que amam e defendem a cidade em que vivem.
|

One thought on “Falta remédio, sobra marketing em Niterói

  1. Mas saiu uma mataria no jornal o globo Niterói 8.1.2017. Que o dinheiro está no caixa da prefeitura 2016 … R$ 7,23milhões para Niterói usar na área da saúde…esse valorse soma a outros R$ 2,3milhões que o deputado já havia levantado para o setor há 1 amo atrás ….deputado Chico d’ Ângelo .. Acho que deveria ter uma investigaçao …. Minha filha e diabética e só não morreu ainda pq a família está me ajuda do ..tenho documentos de precisarem

Comments are closed.

Menu