New here? Register. ×
×

Grosseria gera grosseria: a cidade não cuida de ninguém porque ninguém cuida da cidade

Escrito por Luiz Antonio Mello às 08:03 do dia 23 de fevereiro de 2019
Sobre: Desordem urbana
23fev

A foto é do que restou de uma calçada em Icaraí, outra terra de ninguém. Faz-se o que bem entende, não há controle, não há limite. Colocam gigantescos vasos de planta, fradinhos, barras de ferro onde pedestres, carrinhos de bebê, cidadãos de bem tentam passar como se estivessem numa tosca e bizarra olimpíada de obstáculos brutais, crossfit compulsória.

As autoridades dizem que a manutenção das calçadas é de responsabilidade dos moradores que, encostadas nisso, chutam para o alto, ligam o dane-se. Além dos obstáculos “olímpicos” que derrubam, machucam, prejudicam a população, as constantes invasões por motocicletas, triciclos de supermercado, cachorros fazendo cocô, a buraqueira é uma regra. Ninguém cuida das calçadas da cidade porque a cidade não cuida de ninguém, ou, grosseria gera grosseria.

As marquises de Niterói parecem estar por um fio em vários locais, tanto que é comum vermos pessoas esperando o ônibus na rua, em pé junto ao meio fio, temendo morrer soterrada por esses “mobiliários urbanos”, como chamam os tecnocratas moderninhos.

Quer ver? Dê uma andada a pé na rua da Conceição, que já foi nobre, e veja o estado das marquises. É uma visão horrorosa, as marquises parecem gritar que estão prestes a cair e ninguém faz nada. Pode ser impressão de leigo, mas o que se vê é chocante. Caminhe mais pelas ruas do Centro, se a camelotagem permitir.

Desvio – os chamados ambulantes (maioria de fora da cidade) pressionam a prefeitura, exigem mais licenças para os seus negócios arruinando ainda mais o comércio formal que gera empregos, paga impostos e está a beira da falência por causa da politicagem. No Estado do Rio, 25 mil estabelecimentos comerciais fecharam as portas em 2018 por causa da violência e dos camelôs. Não sei se a prefeitura e o governador sabem disso.

Andando pelo Centro da cidade vemos uma marquise visualmente ameaçadora depois da outra, em sequência. Logo, o povo que não é bobo prefere caminhar na rua. Mas o que poucos sabem é que em caso de tragédia há responsáveis, como deixa bem clara essa Lei:

Na Lei municipal nº 2963 de 11 de junho de 2012 é nítida com relação as marquises. Está lá:

(..) O proprietário, locatário, síndico ou ainda o possuidor a qualquer título, fica obrigado a obter o Laudo Técnico de Certificação de Inspeção Predial, a partir da publicação da presente lei, para verificação das condições de estruturas, subsolos, fachadas, esquadrias, empenas, MARQUISES e telhados e em suas instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias, eletromecânicas, gás e de prevenção a fogo e escape e obras de contenção de encostas, cuja periodicidade futura deverá obedecer à tabela constante do Anexo Único, parte integrante da presente Lei: clique aqui e acesse a Lei: https://bit.ly/2TZdXiq

 

Essa conversa de que falta educação é balela. O que falta é autoridade. Se a prefeitura saísse multando todos os imóveis que enchem as calçadas de obstáculos de concreto, aço, ferro, e arrancasse tudo na marra a situação ia melhorar. Mas, para não perder votos, fazer média e, mídia, as autoridades tiram a juba de leão, escondem na gaveta e falam em estado democrático de direito.

Fingem que esquecem que a democracia é dependente vital da ordem. Fundamental manter decentemente o que é público, em prol do público, do povo, a começar pelo direito de ir e vir que está sendo acintosamente desrespeitado nas calçadas aqui na terra de ninguém onde o que vale é o não ir e o não vir.

@@@

@ Baderna, pânico, confusão e quase tragédia no Bloco Vou Zuar no Caminho Niemeyer, domingo passado. A Guarda Municipal não conseguiu conter a multidão de quase 30 mil pessoas o dobro do que estava previsto. Segundo O Fluminense a superlotação do evento causou confusões generalizadas tanto na entrada e saída da festa quanto na parte interna.  Bebidas alcoólicas estavam sendo vendidas a menores de idade. A prefeitura vai reavaliar esse tipo de evento.

@ Vai trocar de operadora de celular? De acordo com estudo da empresa inglesa Open Signal, especializada em comunicação móvel, as melhores operadoras em cobertura em 4G são: 1 -Tim; 2 – Vivo; 3 – Claro; 4 – Oi; 5 – Nextel.  Em 3G: 1- Vivo; 2 – Claro; 3 – Tim; 4 – Oi; 5 – Nextel.

@ Muito admirado, o excelente Duo Cariello lançou música e vídeos novos. Belíssima, “Mais uma canção de trem”, tem participações de Arthur Maia e Paulinho Guitarra. Ouça/veja aqui https://bit.ly/2IlXPGs

@ Cada vez maior o número de bicicletas elétricas que, como as comuns, tentam circular pela paralisada Niterói. A marca mais vista é a Lev que a fábrica oferece em 10 vezes sem juros. Confira aqui: https://bit.ly/2XgRlfm.   São caríssimas, de R$ 4.890,00 a R$ 6.590,00. Uma paulada.

@ Já começou a guerra para a eleição para prefeito ano que vem. No páreo, Flávio Serafini (PSOL), Waldeck Carneiro (PT), Bruno Lessa (PSDB), entre outros.

@ O trabalho da Clin está sendo elogiado por muita gente, moradoras do Pé Pequeno, Santa Rosa, Jardim Icaraí, São Francisco, Ingá, Icaraí. Beleza.

Sharing is caring

Luiz Antonio Mello
Luiz Antonio Mello
Jornalista, radialista e escritor, fundador da rádio Fluminense FM (A Maldita). Trabalhou na Rádio e no Jornal do Brasil, no Pasquim, Movimento, Estadão e O Fluminense, além das rádios Manchete e Band News. É consultor e produtor da Rádio Cult FM. Profissional eclético e autor de vários livros sobre a história do rádio e do rock and roll.
|

5 thoughts on “Grosseria gera grosseria: a cidade não cuida de ninguém porque ninguém cuida da cidade

  1. Infelizmente a Cidade está sem prefeito e mesmo que tivesse a política emperra tudo por causa do voto, como foi analisado pelo mestre LAM.Se a fiscalização agisse seriamente a Cidade ganharia muito com a arrecadação e beleza

  2. A Prefeitura poderia agir e assim trocar a expressão grosseria gera grosseria pela famosa gentileza gera gentileza! Os niteroienses, com certeza, agradeceriam e, quem sabe, não se animassem a cuidar melhor das suas calçadas!!

  3. Cidade sem prefeito, todos de olho num novo mandato, não tem coragem de fazer o que tem que ser feito. Cidade cheia de obras que não servem para nada, que entulham calçadas de obstáculos e vias de sinais confusos. Todo mundo faz o que quer e ninguém respeita ninguém.

Comments are closed.

Menu